Regime de Reingresso e de Mudança de Par Institutição/Curso no Ensino Superior

1. REQUISITOS

A mudança de par instituição/curso é o ato pelo qual um estudante se matricula e ou inscreve em par instituição/curso diferente daquele(s) em que, em anos letivos anteriores, realizou uma inscrição, podendo ter lugar com ou sem interrupção de matrícula e inscrição numa instituição de ensino superior.
A Portaria n.º 181-D/2015, de 19 de junho aprova o Regulamento dos Regimes Reingresso e de Mudança de Par Instituição/Curso no Ensino Superior, que se aplica às candidaturasdestinadas à matrícula e ou inscrição no ano letivo de 2018 -2019, inclusive.
Podem requerer a mudança para um par instituição/curso os estudantes que:
a) Tenham estado matriculados e inscritos noutro par instituição/curso e não o tenham concluído;
b) Tenham realizado os exames nacionais do ensino secundário correspondentes às provas de ingresso fixadas para esse par, para esse ano, no âmbito do regime geral de acesso – os quais podem ter sido realizados em qualquer ano letivo;
c) Tenham, nesses exames, a classificação mínima exigida pela instituição de ensino superior, nesse ano, no âmbito do regime geral de acesso.
Este regime de mudança de par instituição/curso aplica-se igualmente aos estudantes que tenham estado matriculados e inscritos em instituição de ensino superior estrangeira em curso definido como superior pela legislação do país em causa, e não o tenham concluído.
A mudança de par instituição/curso técnico superior profissional, ou curso estrangeiro de nível correspondente não é permitida para ciclos de estudos de licenciatura ou ciclos de estudos integrados de mestrado.
No ano letivo em que o estudante tenha sido colocado em par instituição/curso de ensino superior ao abrigo de qualquer regime de acesso e ingresso e se tenha matriculado e inscrito, não é permitida a mudança de par instituição/curso.
Legislação:
Portaria nº 181-D/2015, de 19 junho

Despacho nº 2771/2017 - ESML

Documentos necessários para a candidatura:
- Certidão das unidades curriculares realizadas no curso, estabelecimento de proveniência,com classificação das resptivas classificações e do número de (ECTS);
- Documento comprovativo das classificações obtidas nos exames nacionais das disciplinas específicas exigidas para o acesso ao curso a que se candidata (Ficha ENES);
- Cartão de Cidadão (para efeitos de candidatura)
- Curriculum Profissional e Académico;
- Texto justificativo de candidatura (uma página A4);
- 1 foto (tipo passe)

Pagamento da candidatura para o concurso de acesso:
- Mudança de par instituição/curso e reingresso - 61,50 € (sessenta e um euro e cinquenta cêntimos)
Nota: O pagamento da candidatura não está está sujeito a reembolso em caso de desistência do candidato.

2. ELEMENTOS DE AVALIAÇÃO

2.1 A avaliação dos candidatos é efectuada através dos seguintes elementos:
Prova de Aptidão Científica (Escrita)
Domínios sobre os quais incide a prova (ver prova modelo):
Som - conceitos gerais sobre som, áudio e acústica.
Matemática - álgebra, funções e gráficos, geometria analítica, trigonometria, funções exponenciais e logarítmicas, números complexos, limites e continuidade de funções.
Inglês - conhecimentos gerais de inglês incluindo termos técnicos relacionados com a área do curso.
Música - identificação de instrumentos e agrupamentos instrumentais; identificação do movimento sonoro de intervalos musicais; comentário crítico a um trecho musical com diferentes resultados sonoros na escuta.

Esta prova é eliminatória.
Entrevista/Prova Auditiva
É efectuada uma entrevista individual com prova auditiva aos candidatos aprovados na Prova de Aptidão Científica.

Critérios de avaliação da entrevista:
Experiência em áreas relevantes.
- Preparação de base;
- Motivação e interesse;
- Expectativas relativamente ao curso;
- Disponibilidade;
- Objectivos profissionais a atingir;
- Experiência em áreas relevantes.

A prova auditiva consta na reprodução entoada de uma melodia dada e na marcação da pulsação de base a partir da audição de um excerto musical.
Análise curricular
São analisados os currículos académicos e profissionais dos candidatos.

3. SERIAÇÃO

Os candidatos a mudança de par instituição/curso são seriados através da aplicação da seguinte fórmula:
CF= Ax0.75 + Bx0.25
onde:
CF - classificação final da candidatura;
A - classificação final obtida nas provas específicas dos concursos locais de acesso ao curso da ESML;
B - média aritmética das notas das unidades curriculares realizadas no curso frequentado anteriormente.

A nota das provas específicas (PE) é obtida através da análise de todos os elementos de avaliação:
Prova de Aptidão Científica;
Entrevista;
Análise curricular.
PE = 0,7 x PAC + 0,15 x AC + 0,1 x PA + 0,05 x E
em que:
PE = Nota das provas específicas;
PAC = Nota da Prova de Aptidão Científica;
AC = Classificação atribuída na Análise Curricular;
PA = Nota da Prova Auditiva (realizada na entrevista);
E =  Nota da Entrevista.
A colocação dos candidatos nas vagas fixadas é feita por ordem decrescente da lista seriada elaborada.
O resultado final exprime-se através de uma das seguintes situações: colocado, não colocado, excluído.

3.1 Reingresso
O regime de reingresso não tem limitações qualitativas pelo que não esta sujeito às provas referidas e a vagas.