Acreditado por 6 anos A3ES 01-07-2011 NCE/10/02241
Registo DGES: R/A-Cr 188/2011/AL01


COMISSÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MESTRADO

Coordenador: Professor Doutor Tiago Neto
Restantes membros: Professor Doutor Ricardo Pinheiro e Professor Miguel Henriques


ÁREAS DE ESPECIALIZAÇÃO

  • Canto
  • Composição
  • Direção (Coral/Orquestral)
  • Formação Musical
  • Instrumento
  • Jazz

NÚMERO DE VAGAS: 30

CONDIÇÕES DE CANDIDATURA AO ACESSO

De acordo com a legislação em vigor, podem candidatar-se ao acesso ao Mestrado em Ensino de Música:

a) Titulares de uma Licenciatura com um total de 120 créditos em Prática Instrumental e Vocal, em Formação Musical e em Ciências Musicais e nenhuma com menos de 25 créditos, tal como disposto no Anexo do Decreto-Lei 79/2014 de 14 de maio;
b) Titulares de um grau académico superior estrangeiro conferido na sequência de um 1º ciclo de estudos organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este processo;
c) Titulares de um grau académico superior estrangeiro que seja reconhecido como satisfazendo os objetivos do grau de licenciado pela Comissão Científica;
d) Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional que seja reconhecido como atestando capacidade para a realização deste ciclo de estudos pela Comissão Científica.
e) Estudantes que concluam um dos graus superiores referidos em a), b) ou c) até ao ato de matrícula.

O reconhecimento a que se referem as alíneas b), c) e d) do nº 1 tem efeito apenas para o acesso ao ciclo de estudos conducente ao grau de mestre e não confere ao seu titular a equivalência ao grau de licenciado ou o reconhecimento desse grau.


CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E SERIAÇÃO

1. Área de Composição

a) A seleção dos candidatos é feita através de:

• Apresentação de um portfólio com obras que o candidato considere relevantes na sua produção, integrando, sempre que possível, gravações de execuções públicas das mesmas;
• Um texto em Português justificativo das obras apresentadas;
• Um texto em Português justificativo da intenção de frequência do Mestrado;
• Uma entrevista;
• Apreciação do Curriculum Vitae do candidato.

b) No portfólio serão avaliados:

• O grau de profissionalismo da escrita e acabamento geral das partituras;
• A quantidade de obras, tendo ainda em conta a diversidade de géneros, as formações instrumentais e os media utilizados;
• O grau de reflexão estética e técnica presente na produção musical;
• O grau de envolvimento com o meio musical, sempre que forem disponibilizadas as gravações referidas na alínea a) do número 1 do presente artigo.

c) Nos textos em Português e na entrevista referidos em a) serão avaliados o domínio oral e escrito da Língua Portuguesa e o domínio das regras essenciais da argumentação lógica (Art.º 17º do DL n.º 79/2014).

2. Área de Direção (Coral/Orquestral)

a) A seleção dos candidatos é feita através de:

• Apresentação de um portfólio que inclua a referência à experiência relevante na área da direção e um DVD com obras dirigidas pelo candidato em pelo menos duas formações distintas – a título de exemplo: orquestra (sinfónica, cordas, sopros), coro/ensemble vocal (a cappella), coro/ensemble vocal e orquestra, coro/ensemble vocal e ensemble instrumental;
• Um texto em Português justificativo da escolha das obras e formações apresentadas;
• Um texto em Português justificativo da intenção de frequência do Mestrado;
• Uma entrevista;
• Apreciação do Curriculum Vitae do candidato.

b) No portfólio serão avaliados:

• A experiência do candidato na área da direção;
• O rigor da execução;
• O domínio técnico, as capacidades interpretativas e expressivas;
• O grau de comunicação gestual/facial do candidato com as formações apresentadas no DVD.

c) Os candidatos em Direção Coral serão ainda avaliados através de uma prova prática que consistirá num ensaio de aproximadamente 15 minutos e uma prova auditiva de deteção de erros.

d) Os candidatos em Direção Orquestral serão ainda avaliados através de uma prova prática de, aproximadamente, 15 minutos, que consistirá num ensaio de 5 minutos, seguindo-se os restantes 10 minutos para a execução de uma peça obrigatória. O júri reserva-se o direito de interromper a prova antes do fim dos 15 minutos.

e) Os critérios de avaliação terão em linha de conta a experiência do candidato em Direção Orquestral, nomeadamente, nos seguintes aspetos:

• Domínio da técnica de direção.
• Comunicação com a orquestra.
• Escuta e capacidade de reação.
• Liderança.
• Conhecimento e compreensão da obra.
• Interpretação

f) Nos textos em Português e na entrevista referidos em a) serão avaliados o domínio oral e escrito da Língua Portuguesa e o domínio das regras essenciais da argumentação lógica (Art.º 17º do DL n.º 79/2014).

3. Restantes áreas

a) A seleção dos candidatos é feita através de:

• Provas práticas, cujo conteúdo ou programa a ser executado é divulgado com uma antecedência de pelo menos 30 dias relativamente à data da realização da prova;
• Um texto em Português justificativo das obras apresentadas (quando aplicável);
• Um texto em Português justificativo da intenção de frequência do Mestrado;
• Uma entrevista;
• Apreciação do Curriculum Vitae do candidato

b) Nas provas práticas(*) serão avaliados:

• O rigor da execução;
• O domínio técnico;
• As capacidades interpretativas e expressivas;
• O grau de investimento do candidato na preparação do programa apresentado.

(*) Pela sua especificidade, as provas práticas de Formação Musical – que, para além de provas preparadas de Canto e Piano, compreendem também provas escritas e de leitura à 1ª vista – englobam ainda outros critérios de avaliação (competências auditivas, rítmicas, de leitura, etc.).

c) Nos textos em Português e na entrevista referidos em a) serão avaliados o domínio oral e escrito da Língua Portuguesa e o domínio das regras essenciais da argumentação lógica (Art.º 17º do DL n.º 79/2014).

4. Júris

Em cada Área de Especialização a avaliação dos portfólios e das provas práticas é realizada por um júri nomeado pela Comissão Científica do Mestrado em Música e composto por três docentes, dos quais pelo menos um é da área de especialização/ instrumento respetivo.

5. Colocação dos candidatos

A colocação dos candidatos depende das disponibilidades do serviço docente e terá em conta a necessidade de assegurar o funcionamento equilibrado das diversas áreas de especialização/instrumentos. Em conformidade com o acima exposto, no caso de candidatos colocados não se matricularem no prazo fixado ou declararem desistir, poderá a ESML admitir o(s) candidato(s) seguinte(s) na seriação da respetiva área de especialização/instrumento.

6. Recurso

Dos resultados do concurso não são admitidos recursos ou reclamações, excepto se fundamentados em vício de forma.


PRAZOS E DATAS

Prazo de candidatura: 11 a 29 de março de 2019
Publicação do Programa das Provas Práticas: 22 de março de 2019
Realização das provas práticas: 22 a 26 de abril de 2019
Divulgação da lista provisória de seriação: 10 de maio de 2019
Prazo de reclamações: 13 a 16 de maio de 2019
Divulgação da lista definitiva: 21 de maio de 2019
Matrículas: de 16 a 20 de setembro de 2019


Investigação

cesem polo2

Actividades e Notícias