ORQUESTRA DE SOPROS | 'Uma Rapsódia em Chicago'

Dados do Evento

Data:
sexta, 06 dezembro 2019
Hora:
18h00
Local:
Auditório Vianna da Motta, ESML, Lisboa
ORQUESTRA DE SOPROS | 'Uma Rapsódia em Chicago'
14 Out.
2019

ORQUESTRA DE SOPROS | 'Uma Rapsódia em Chicago'
Concerto, sexta-feira, dia 6 de dezembro de 2019 às 18h00
@ Auditório Vianna da Motta, ESML, Lisboa

maestros convidados | José Eduardo Gomes, José Manuel Brito


Programa

#1. Rapsódia em Fado
JOAQUIM LUÍZ GOMES

#2. Pendulum
STEVE BRYANT

II. Nocturne
V. Zeal


#3. Winter Blossom
XI WANG

#4. Commando March
SAMUEL BARBER

Biografias

José Eduardo Gomes

José Eduardo Gomes é maestro titular da Orquestra Clássica da FEUP. É Professor na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Porto, onde trabalha com as várias Orquestras.
Foi maestro titular da Orquestra Clássica do Centro (2016 a 2018), maestro associado da Orquestra Clássica do Sul (2018/2019), maestro titular do Coro do Círculo Portuense de Opera, no Porto (2011 a 2017) e maestro principal da Orquestra Chambre de Carouge, na Suíça, (2008 a 2011).

Iniciou os seus estudos musicais no clarinete em V. N. Famalicão, sua cidade natal. Mais tarde, continuou estudos na ARTAVE e ESMAE, onde se formou na classe do Prof. António Saiote, tendo recebido o Prémio Fundação Engenheiro António de Almeida.
Mais tarde, prosseguiu estudos na Haute École de Musique de Genève (Suíça), em direção de orquestra com Laurent Gay e em direção coral com Celso Antunes.
É laureado em diversos concursos, onde se destacam o Prémio Jovens Músicos, Categoria Clarinete e Música de Câmara e Concurso Internacional de Clarinete de Montroy (Valência).
É igualmente laureado do Prémio Jovens Músicos, Categoria Direção de Orquestra, onde recebeu também o prémio da orquestra. Foi semi-finalista no 1º Concorso Citta di Brescia Giancarlo Facchinetti (Itália).
José Eduardo é membro fundador do Quarteto Vintage e do Serenade Ensemble.

Nos últimos anos, tem sido convidado para trabalhar com as principais orquestras portuguesas, atuando nos mais destacados festivais de música em Portugal, tais como Dias da Música, Festival de Sintra, Festival PJM, Festival Cantabile, Festival de Música de Leiria, FIMA, Música no Colégio, Festival Internacional de Música Religiosa de Guimarães, entre outros.

No domínio da ópera, já participou em várias produções, tais como Mozart Don Giovanni e Cosi Fan Tutte, Verdi Luisa Miller, Haydn Lo Speziale, Marcos de Portugal La Donna di Genio Volubile.
Outra parte importante do seu trabalho é dedicado a orquestras de jovens, um pouco por todo o país.

Em 2018 foi agraciado com a Medalha de Mérito Cultural pela Cidade de V.N. Famalicão.

José Manuel Ferreira Brito

José Manuel Ferreira Brito nasceu em Santa Maria da Feira, iniciando os seus estudos musicais com a idade de 11 anos, na Academia de Música de Paços de Brandão onde concluiu o curso de Complementar de Saxofone.

Concluiu a Licenciatura em Direção de Orquestra, na Academia Nacional Superior de Orquestra, na Classe do Maestro Jean-Marc Burfin, em Julho de 1999. Durante a frequência do curso dirigiu regularmente a Orquestra Académica Metropolitana em concertos realizados em diversas localidades do país.

Frequentou Masterclasses de Direção de Orquestra, com os Maestros Luca Pfaff, Jean-Sébastien Béreau e Robert Delcroix. Na Direção de Banda participou na Masterclass promovida pela Universidade Nova de Lisboa e ministrada por Sir David Whitwell, em 2002, constituída por uma sessão prática sobre “Sonoridades das Bandas” e por uma conferência subordinada ao tema “The Role of the Wind Bands in the 21st Century” (“O papel das Bandas no Séc. XXI”). Em 2005 participou, como ouvinte, na Masterclass de Direção de Banda ministrada pelo Maestro norte-americano Dr. Mitchell Fennell que decorreu na Escola de Música do Conservatório Nacional, em Lisboa.

Após ter terminado a sua licenciatura foi convidado para leccionar as disciplinas de Orquestra, História da Música e Saxofone no Conservatório Metropolitano de Lisboa entre os anos lectivos de 1996 a 2000. Leccionou, também, Saxofone na Escola de Música Leal da Câmara, em Sintra e no Conservatório Regional do Baixo Alentejo, em Beja.

Foi membro fundador, Director Artístico e Maestro da “Orquestra de Sopros de Sintra” e da Camerata Instrumentalis da Amadora. Fez parte do Corpo Docente dos “Cursos de Aperfeiçoamento de Maestros Amadores” promovidos pelo INATEL. Foi Maestro da Orquestra de Sopros do “I Curso para Jovens Músicos de Leiria” e professor de Música de Câmara do “V Curso para Jovens Músicos de Caldas da Rainha”. Fez parte do Corpo Docente dos “Cursos para Instrumentistas e Regentes” promovidos pelo Conservatório Regional do Baixo Alentejo. Ministrou Masterclasses de Direção de Banda em Arrifana, Gançaria, Ovar, Madeira e Montalvo, promovidas pelo Luthier Cardoso&Conceição. Foi Maestro convidado da Orquestra Clássica da Madeira, em 2001, efectuando concertos em localidades da ilha da Madeira.

Em 2003, foi Maestro convidado para orientar o 11º Estágio da Orquestra Nacional de Sopros dos Templários, que decorreu em Tomar, com o Alto Patrocínio de S. Exa. o Presidente da República.
Em 2009 foi Maestro convidado da Lungegaardens Musikkorps da cidade norueguesa de Bergen, tendo efectuado um concerto no prestigiado Grieg Hall e com o patrocínio do Instituto Camões.

Autor de diversos artigos literários específicos do campo do ensino da Direção de Banda e de artigos sobre a Banda Sinfónica da PSP, alguns publicados em Revistas e periódicos (nacionais e internacionais) da especialidade.

Desde 1996, é membro da IMMS (International Military Music Society).

Em maio de 2000 ocupa o cargo de Maestro Assistente da Banda Sinfónica da Polícia de Segurança Pública, tendo ingressado nesta Instituição depois de ter prestado provas e de ter sido aprovado em Concurso Público. Desempenha as funções de Chefe da Banda em Exercício desde junho de 2009.

Temporada 19-20 (por mês)