Trombone / Música de Câmara

Hugo Assunção, natural de Vestiaria (Alcobaça), nasceu em Leiria em 1969.
Começou a estudar música com seu pai e deu os primeiros "passos" como Trombonista na Banda e Orquestra  da Soc. Filarmónica Vestiariense "Monsenhor José Cacella" . Em 1983 ingressa no Conservatório de Música de Lisboa, na classe do Professor Emídio Coutinho. Fez parte da Orquestra Portuguesa da Juventude e da Orquestra de Jovens do Mediterrâneo (com a qual gravou um CD).

Desde 1987 tem colaborado como freelancer com as orquestras: Sinfónica Juvenil; Fundação Calouste Gulbenkian (com cuja orquestra gravou alguns CDs); Régie Sinfonia (já extinta), Sinfonieta de Lisboa, Metropolitana de Lisboa, Orquestrutópica e Orquestra de Jazz de Matosinhos.

Em 1988 ganhou a posição de Primeiro Trombone Solista na Orquestra do Teatro Nacional de São Carlos, lugar que ocupou até à sua extinção no ano de 1992.

Em 1990 fez uma série de recitais a solo no Arquipélago dos Açores. Foi trombonista da Orquestra de Jazz do Hot Clube de Portugal (com quem gravou um CD).

Membro fundador e principal impulsionador do Quinteto de Metais "Hot Brass de Portugal" (agrupamento este que estreou em Portugal o Metais de Elliot Carter, no Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian), do Decateto de Metais de Lisboa, do Ensemble Português de Trombones e do Quinteto Português de Metais.

Foi professor de Trombone e Música de Câmara na Universidade de Aveiro, Escola Superior de Música do Porto, Escola Profissional de Música de Espinho, Escola Profissional Gualdim Pais em Tomar; professor de Trombone na Escola de Jazz do Hot Clube de Portugal; professor de Trombone e Música de Câmara nos Cursos de Música de Loures e nos Cursos de Música de Caldas da Rainha. Tem sido também convidado a leccionar masterclasses um pouco por todo o país.

Actualmente é professor de Trombone e Música de Câmara na Universidade de Évora e no Instituto Piaget em Almada.

Em 2000, dois dos seus alunos (Manuel Vieira-trombone tenor e Júlio de Sousa-trombone baixo) foram seleccionados para o naipe (3 Trombones) de uma das principais orquestras de jovens europeias: a Orquestra de Jovens do Mediterrâneo, onde desempenharam funções de primeiro Trombone e Trombone Baixo, respectivamente. Em 2002 dois dos seus alunos (Andreia Santos e Ricardo Resende-trombones tenor) foram seleccionados para o naipe de 3 Trombones da Orquestra APROARTE, de entre concorrentes de todas as Escolas Profissionais do País.

Organizou e participou em Masterclasses com Conrad Herving e Ed Neumeister (dois dos maiores trombonistas de jazz de sempre) e com o conceituado Primeiro Trombone da Orquestra Filarmónica de Nova Iorque = Joseph Alessi.  Participou ainda em masterclasses com David Taylor, com o Naipe de Trombones da Orquestra do Concertgebouw de Amesterdão e com o trombonista Gilles Millière.

Foi membro fundador da  Associação Portuguesa de Percussionistas e Instrumentistas de Sôpro - APPIS. Em 1997 criou o Jornal do Núcleo de Trombonistas desta Associação que foi distribuido por mais de 300 trombonistas em todo o país.

É, desde 1993, Primeiro Trombone - Coordenador de Naipe da Orquestra Sinfónica Portuguesa.